Rinite alérgica no inverno: veja dicas para se prevenir

2 leitura mínima
Rinite alérgica no inverno: veja dicas para se prevenir

A chegada do inverno, marcado por baixas temperaturas e clima seco, potencializa doenças tipicamente respiratórias como sinusite, rinite e outras alergias.

Em entrevista à CNN, Michelle Andreata, médica pneumologista da Saúde no Lar, explica que a redução da umidade no ar, especialmente durante as transições sazonais, pode agravar os sintomas dessas enfermidades.

“O ar seco irrita as mucosas do trato respiratório, facilitando a entrada de alérgenos e agravando quadros de asma e bronquite, por exemplo”, afirma.

Segundo a profissional, a saúde respiratória é preservada em melhores condições quando a umidade relativa do ar fica entre 40% e 60%, com temperaturas amenas.

Como evitar alergias e sintomas típicos do inverno?

Além da ingestão de água para manter as mucosas hidratadas, a profissional garante que é possível seguir uma rotina de cuidados que evitam os sintomas. Confira:

  • Fazer uso de umidificadores para evitar que o ar fique excessivamente seco em ambientes internos;
  • Utilizar soro fisiológico para limpar e hidratar as vias aéreas;
  • Evitar ambientes muito aquecidos – já que o aquecimento pode ressecar ainda mais o ar;
  • Colocar bacias com água perto de fontes de calor para aumentar a umidade;
  • Utilizar hidrantes labial e na pele para evitar o ressecamento; e
  • Manter as vacinas atualizadas, especialmente contra a gripe.

Já para aqueles que sofrem com rinite alérgica ao longo do ano, as recomendações incluem evitar exposição a alérgenos já conhecidos, como pólen, poeira e pelos de animais. “O uso de anti-histamínicos e corticoides nasais devem ser prescritos por um médico especialista”, alerta.

“Fazer lavagem nasal com solução salina para remover alérgenos também é importante, assim como manter o acompanhamento profissional”, finaliza.

Confira também – Músicas para curtir no inverno: