Quem era o dono do bar que morreu esfaqueado após defender mulher em SP

2 leitura mínima
Quem era o dono do bar que morreu esfaqueado após defender mulher em SP

O empresário Carlos dos Santos Monteiro, dono de um bar de rock em São Paulo, morreu na noite do último sábado (15) após defender uma mulher de assédio.

Nenê, como era conhecido, era proprietário do dono do Malta Rock Bar, na Praça da Árvore –zona sul da capital paulista. Ele era casado havia mais de 20 anos com a esposa, Luciana, e não tinha filhos.

Monteiro começou sua carreira como publicitário antes de ser gerente de algumas lojas varejistas, padarias e supermercados.

Na década de 1980, atuou como baterista e começou a se aproximar do cenário musical paulista ao se apresentar em baladas e festas de amigos.

O empresário sempre teve o sonho de ter seu bar de rock. Em setembro de 2020, utilizou suas economias para montar o próprio comércio. Ele acreditava que, ao empreender, buscaria o melhor para sua família e seus amigos.

Ao todo, antes de abrir o bar em janeiro de 2021, investiu mais de R$ 200 mil para reformar o imóvel. Por causa da pandemia, o negócio começou a dar certo em 2022.

Segundo amigos, o bar recebia um público muito diverso e Nenê era uma pessoa importante na comunidade musical.

O proprietário realizava muitas festas de aniversário no andar de cima do bar, onde há uma churrasqueira, sempre com rock ao vivo. E mesmo em momentos sem música, ele abria o bar por volta das 17h30 para receber as pessoas e até dar conselhos e ter conversas mais pessoais.

Alguns amigos contaram à CNN que ele sempre buscava acolher os clientes e humanizar o atendimento, sempre muito próximo e atencioso.