OMS lança diretriz para tratamento do tabagismo; veja orientações

4 leitura mínima
OMS lança diretriz para tratamento do tabagismo; veja orientações

A Organização Mundial da Saúde (OMS) lançou no fim de junho sua primeira diretriz de tratamento clínico para o tabagismo em adultos. As recomendações incluem um conjunto abrangente de intervenções, como o apoio comportamental fornecido por profissionais de saúde, intervenções digitais e tratamentos farmacológicos.

Segundo a entidade, as recomendações são relevantes para todos os adultos que procuram abandonar vários produtos de tabaco, incluindo cigarros, narguilés, produtos de tabaco sem combustão, charutos, tabaco de enrolar e produtos de tabaco aquecido (HTPs).

“Essa diretriz representa um marco crucial em nossa batalha global contra esses produtos perigosos”, afirma o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus. “Ela capacita os países com as ferramentas essenciais para apoiar efetivamente os indivíduos a parar de fumar e aliviar a carga global de doenças relacionadas ao tabaco.”

Ainda de acordo com a OMS, mais de 60% dos 1,25 bilhões de usuários de tabaco do mundo (mais de 750 milhões de pessoas) desejam parar de fumar, mas 70% não têm acesso a serviços eficazes de tratamento. Para a entidade, essa lacuna existe devido aos desafios enfrentados por sistemas de saúde, incluindo a limitação de recursos.

“A imensa luta que as pessoas enfrentam ao tentar parar de fumar não pode ser exagerada. Precisamos apreciar profundamente a força e o sofrimento suportado pelos indivíduos e seus entes queridos para superar esse vício”, diz Rüdiger Krech, diretor de Promoção da Saúde da OMS. “Essas diretrizes são projetadas para ajudar as comunidades e os governos a fornecer o melhor apoio e assistência possíveis para aqueles que estão nesta jornada desafiadora.”

Recomendações da OMS para tratamento do tabagismo

Entre as recomendações da OMS, estão terapias comprovadamente eficazes para a cessação do tabagismo. É o caso da combinação de farmacoterapia com intervenções comportamentais. Na nova diretriz, os países são encorajados a fornecer esses tratamentos a custo zero ou reduzido para melhorar a acessibilidade, principalmente em países de baixa e média renda.

A entidade recomenda, como tratamentos farmacológicos eficazes, a vareniclina, a terapia de reposição de nicotina (TRN), bupropiona e cistina. Em 2023, a OMS iniciou um procedimento de pré-qualificação de medicamentos contra distúrbios causados pelo uso do tabaco para melhorar o acesso global aos medicamentos recomendados para o tratamento. Em abril de 2024, a goma e o adesivo de nicotina da Kenvue se tornaram os primeiros produtos pré-qualificados pela OMS.

Entre as intervenções comportamentais, a entidade recomenda o aconselhamento breve para profissionais de saúde, oferecido rotineiramente em ambientes de cuidados de saúde. Isso deve ser feito com o apoio comportamental intensivo aos usuários de tabaco interessados, com aconselhamento individual, em grupo ou por telefone.

Intervenções digitais, como mensagens de texto, aplicativos para smartphones e programas de internet, também podem ser usadas como coadjuvantes ou ferramentas de autogestão no tratamento do tabagismo, de acordo com a diretriz da OMS.

Em comunicado, a entidade afirma que “incentiva os profissionais de saúde, os formuladores de políticas e as partes interessadas a adotar e implementar essa diretriz para promover a cessação do tabagismo e melhorar a saúde de milhões de pessoas necessitadas em todo o mundo.”

Efeitos do cigarro no sistema imunológico podem durar anos, diz estudo