06/09/2023 às 15h09min - Atualizada em 07/09/2023 às 00h01min

Hora do banho no HEF simula sensação uterina para bebês

Projeto de humanização das enfermeiras usa musicoterapia para trazer aconchego aos recém-nascidos

ECCO Escritorio de Consultoria em Comunicação Ltda
[email protected]
Divulgação/ IMED
Um ambiente tranquilo e acolhedor. Assim é a hora do banho no Alojamento Conjunto (ALCON) do Hospital Estadual de Formosa (HEF), unidade do governo de Goiás. O projeto de humanização, idealizado pela enfermeira Lucivane Moura com apoio das técnicas de enfermagem Rozinete Pereira, Ana Karoline Guimarães e Aida Veras, e da coordenadora do Centro Obstétrico e ALCON, Mariana Granado, busca proporcionar um momento de relaxamento para os bebês. Por meio da musicoterapia elas simulam a sensação uterina para os recém-nascidos.

O ambiente intrauterino representa uma fonte de estímulo sonoro muito rico. No interior do útero, a criança escuta ruídos que podem variar entre 40 e 50 decibéis. É algo em torno de um cochicho e um choro e, nesse ambiente o som do coração da mãe e do útero acalmam. As vozes da mãe e de pessoas próximas também são percebidas e representam um elemento afetivo constante para os bebês. Por isso a opção das profissionais, quando definiram o projeto de humanização, voltou-se para a musicoterapia. Elas usaram estudos científicos que apontam benefícios emocionais e cognitivos da técnica que promove bem estar, e influencia positivamente a afetividade.


Bebês respondem

O recém-nascido reage à musicoterapia com relaxamento e respostas fisiológicas, como a melhora da saturação de oxigênio, a frequência cardíaca e respiratória, os padrões de sono e vigília, entre outros. O ambiente do hospital é bem calmo com músicas infantis, cantigas populares, mas todas em versão instrumental e mais lentas, como uma canção de ninar. Segundo Elba Tânia de Ramos, pediatra do HEF a união do banho com a musicoterapia pode gerar resultados muito proveitosos.

“Quando falamos em banho, estamos falando sobre uma experiência gostosa, que relaxa. Há muito que é sabido sobre o bem-estar gerado pela musicoterapia e atualmente nosso hospital estende essa dádiva aos nossos bebês. Cientificamente a música e sua sonoridade fazem com que as sinapses neurais das crianças aconteçam mais e tragam a elas esse conforto, bem-estar e segurança e, por que não, uma melhor inteligência para o futuro” afirma a pediatra.

As enfermeiras adotam uma abordagem humanizada. Elas interagem com os bebês, explicando cada passo do processo, desde o banho até a troca de roupa. Além disso, dialogam com as mães, preocupando-se com o seu bem-estar. Elas também orientam sobre os cuidados necessários, como a maneira adequada de dar banho e higienizar os olhos. Além disso, oferecem conforto aos bebês, acalentando-os no colo e demonstrando carinho.


Mães interagem

Para a médica, os benefícios do banho não se restringem apenas ao bebê, mas também a mãe que acompanha todo esse processo. Tornar o momento do banho prazeroso é uma forma de acolher as novas mães e encorajá-las nessa jornada, muitas vezes, desconhecida. É uma forma de externalizar o amor que já existe, desde o período da gestação, mas que só agora se faz conhecido em uma pessoa que já chega trazendo muitos desafios.

“O banho, onde é dado carinho, conforto, segurança, fortalece o vínculo mãe e bebê, pois a mãe também acompanha esse momento. Observamos que esses bebês e essas mães após o banho ficam mais calmas e conseguem ter mais qualidade na amamentação. Durante nove meses ela está gestando um neném que está no imaginário, mas que agora, após o parto, é um bebê real, que traz o que a mãe sonhou e aquilo que ele realmente é. E agora, como segurar, como fazer, como cuidar, como dar amor? Então nós, aqui com a enfermagem e toda equipe do HEF, buscamos durante o banho levar a essas mães esse acolhimento também”, explica Elba.


Humanização

O centro obstétrico do HEF tem servido com excelência a pacientes de Formosa e região. Com a humanização como foco a unidade já marca mais de 3 mil partos realizados. Para Mariana Granado, enfermeira coordenadora do CO, a iniciativa do projeto vai ao encontro com todo trabalho que já vem sendo desenvolvido e reafirma o compromisso das equipes da maternidade com o bem-estar e cuidado materno infantil.

“Hoje nós temos três pontos em que nos baseamos: a humanização, o acolhimento e a instrução com informações de qualidade. O projeto hora do banho consegue englobar tudo isso e mostra nosso compromisso e dedicação no cuidado com mães e bebês”, conclui Mariana.


Assessoria de Comunicação do HEF



 

Este conteúdo foi distribuído pela plataforma SALA DA NOTÍCIA e elaborado/criado pelo Assessor(a):
U | U
U


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://jornalfluminense.com.br/.