01/09/2023 às 13h18min - Atualizada em 04/09/2023 às 00h04min

Comitiva do Ibrachina reúne-se com o reitor da Unicamp

Redação
https://www.ibrachina.com.br/
Divulgação
Grupo liderado por Thomas Law tratou de possibilidade de novas parcerias
 

Uma comitiva do Ibrachina, liderada por seu presidente, Thomas Law, foi recebida nesta quinta (30), pelo reitor da Unicamp, Antonio José de Almeida Meirelles. O doutor Li Li Min, professor do Departamento de Neurologia da Unicamp, participou do encontro.

Além de Thomas, estavam presentes na comitiva Tak Chung Wu, diretor do CPDI do Instituto; Felipe Agne, diretor de comunicação; e Júlia Ferreira, analista de relações internacionais. Eles foram acompanhados pela professora Sophie Xiaoshu Zhu, diretora dos Institutos Confúcio no México e no Brasil. 

Durante a reunião, Thomas falou sobre o trabalho do Ibrachina e tratou sobre a possibilidade de aproximar a Unicamp de universidades chinesas. Um dos aspectos que podem facilitar o intercâmbio é o fato de existir um Instituto Confúcio na Unicamp. Além disso, explicou como funciona o Ibrawork, hub de inovação aberta ligado ao Instituto.

“Acredito que esse é um momento oportuno de termos um intercâmbio maior na área do desenvolvimento. Estivemos na China com o presidente Lula, onde conversamos com vários professores universitários chineses. Há vários parques tecnológicos na China e podemos abrir muitas portas lá, pois esse é nosso papel”, disse o presidente do Ibrachina.

Na oportunidade, ele presenteou o reitor Meirelles com o livro “A Consolidação legal das relações entre China & Brasil”, que reúne artigos de juristas brasileiros e chineses. “Essa é uma obra inédita, realizada pela Coordenação Nacional das Relações Brasil-China da OAB, que eu presido, unindo a China Law Society e a OAB do Brasil”, ressaltou Thomas. O livro será lançado também na China, numa versão em mandaram, em 2024, como parte das comemorações dos 50 anos das relações diplomáticas entre Brasil e China.

O reitor Meirelles destacou a importância que a China tem no cenário internacional e como um “exemplo de desenvolvimento. Disse ainda que a Unicamp planeja ter um Centro de Estudos Asiáticos e a China seria um dos focos. 

“Temos todo interesse em estreitar essas relações, pois queremos que os projetos desenvolvidos pela nossa universidade, além de gerar conhecimento, tenham impacto econômico”, afirmou, ressaltando a tradição da Unicamp na área de ciência e tecnologia. No campus universitário funciona o HIDS (Hub Internacional de Desenvolvimento Sustentável). Ele faz parte da implantação de um distrito inteligente em áreas da Unicamp em que serão reunidas instituições públicas e privadas voltadas para a produção de ciência, tecnologia e inovação.

Outra pauta abordada foi a inauguração do Centro de Pesquisa Desenvolvimento e Inovação do Ibrachina (CPDI), em Campinas, fruto de uma parceria com a Unicamp, que será dirigido por Tak Chung Wu, e o doutor Li Li Min será um dos pesquisadores.


Este conteúdo foi distribuído pela plataforma SALA DA NOTÍCIA e elaborado/criado pelo Assessor(a):
U | U
U


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://jornalfluminense.com.br/.