29/08/2023 às 11h03min - Atualizada em 30/08/2023 às 00h03min

A Arte como Catalisadora de mudanças e quebra de tabus

A arte pode nos dizer algo

Imprensa Herself
Divulgação Luisa Sonza

A Arte como Catalisadora de mudanças e quebra de tabus

 

Quando pensamos em arte nos tempos antigos, logo pensamos nas grandes peças de teatro que horrorizavam o público pelos conteúdos polêmicos, mas necessários para fazer a sociedade refletir diversas questões. Nelson Rodrigues, por exemplo, foi um grande dramaturgo, que trazia em suas obras muitas histórias escandalosas para o tempo, que refletiam os conflitos sociais. Na música, grandes nomes, como Cazuza e Renato Russo, usaram suas composições como forma de trazer à tona assuntos que eram colocados debaixo do tapete. As reações eram sempre iguais: a maioria criticava e odiava, e uma pequena parte das pessoas gostavam e muito. 

 

No cenário atual do século XXI, onde a tecnologia e a informação se disseminam em uma velocidade impressionante, a arte ainda se mantém como uma ferramenta poderosa para desafiar normas, quebrar tabus e expandir horizontes. Um exemplo recente desse fenômeno é o novo videoclipe da cantora Luisa Sonza, que gerou polêmica e diversas interpretações, além de muita crítica ao trabalho da artista - que chegou a perder na última semana mais de 100 mil seguidores no Instagram. 

 

O que as pessoas não param para pensar é que muitas intervenções artísticas nos coloca a confrontarem as nossas próprias sombras, gerando um desconforto inicial. A arte tem o poder de abordar questões sensíveis e controversas que muitas vezes são evitadas em discussões convencionais, funcionando como um espelho que reflete as realidades sociais, políticas e culturais da época.

 

Uma das maneiras mais poderosas de a arte catalisar mudanças é exploranso as sombras humanas, ou seja, os aspectos mais obscuros, complexos e muitas vezes reprimidos da psique humana. Através da pintura, da música, do cinema e de outras formas de expressão, a arte permite que as pessoas entrem em contato com seus medos, desejos ocultos e questões não resolvidas. Isso cria uma oportunidade de autoconhecimento e crescimento pessoal, além de promover empatia ao compreender as experiências alheias.

 

O Impacto do Novo Videoclipe de Luisa Sonza

 

O lançamento do videoclipe da cantora Luisa Sonza evidencia como a arte contemporânea continua a romper barreiras. Intitulado “Campo de Morango”, a trama traz cenas da artista dançando de forma sensual, em cima de uma cama que está cheia de morangos - o que deixa o lençol e as roupas da cantora tingidos de vermelho.

 

Nas redes sociais, a maioria das pessoas dizem ter a impressão de que todo esse morango significa sangue - algo que tem incomodado muita gente. Muitas questões foram levantadas a respeito dos significados do videoclipe - talvez ainda pelo sangue simbolizar violência e sofrimento, e por isso, muitas pessoas associaram o vídeo a coisas negativas. Por outro lado, existem momentos naturais em que o sangue está presente, como em partos e na menstruação. Inclusive, uma das interpretações que chamou a atenção foi sobre o tema sexo durante a menstruação, que pode ser algo super positivo sem ser alvo de criticas e tabus. 

Transar enquanto está menstruada pode ser muito prazeroso e benéfico para a mulher, pois muitas mulheres sentem a libido aumentar nesse período. Fora isso, o orgasmo no período menstrual é considerado bom, por ser capaz de aliviar até mesmo as cólicas sentidas pela contração do útero nessa fase. Além deste, há outros benefícios relatados acerca desta prática, como a diminuição do estresse que algumas mulheres sentem com mais afinco. A ginecologista Roberta Grabert, formada pela FMUSP, alerta: “É importante ressaltar que, por mais que seja benéfico, durante a menstruação, o sexo pode aumentar o risco de contrair infecções transmissíveis (ISTs), e por isso, a proteção e boa higiente pós-sexo são fundamentais”. 

 

Mas se está comprovado que sexo e menstruação podem, sim, estar juntos, por que será que as pessoas ainda tem aversão pelo tema? - especialmente quando se liga a sexualidade feminina também? Pois, sim! Pode a mulher sentir vontade e desejo sexual, ainda que esteja menstruada -  A resposta está entranhada nos paradigmas inseridos na sociedade há muito tempo e que ainda não foram desmistificados. “A ideia de que o sangue menstrual é algo ruim e sujo, ainda permeia entre as pessoas de uma forma muito intrínseca. A sexualidade feminina, então, nem se fale! A maneira mais eficaz de ressignificar algo que é natural e comum na vida das mulheres é trazendo o assunto para debate”, afirma Raíssa Assmann Kist, CEO e fundadora da Herself, femtech voltada para soluções menstruais. 

 

Em entrevista para um podcast, Luisa Sonza diz que todo seu álbum novo está carregado de simbolismo e imagens surrealistas, que podem gerar diversas interpretações e reações. E afirma que “Campo de Morango” não tem  nenhuma relação com violência sexual ou aborto. Algumas pessoas podem ter se sentido desconfortáveis com as imagens ousadas e a narrativa do vídeo, enquanto outras o interpretaram como uma crítica social ou como uma forma de empoderamento.
 

Independentemente das interpretações individuais, o clipe conseguiu o que a arte faz de melhor, que é estimular conversas e reflexões.”, conclui Raíssa Assmann Kist. 


 

Este conteúdo foi distribuído pela plataforma SALA DA NOTÍCIA e elaborado/criado pelo Assessor(a):
U | U
U


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://jornalfluminense.com.br/.