29/08/2023 às 15h58min - Atualizada em 30/08/2023 às 00h03min

Corona Dream Tour Floripa apresentado por Shell terá diversas ações sociais durante os dias de competição

•Destaque para a apresentação de Surf Dog, modalidade que é febre nos Estados Unidos e que o Brasil tem cães que são referências no esporte •Evento receberá ainda visitas de crianças, quando será mostrado as oportunidades do surfe e os fãs poderão interagir com os atletas •Ações socioambientais também são mais uma vez reforçadas pelo Dream Tour

Comunicação Dream Tour
Dream Tour
Com o objetivo de deixar sua pegada social durante sua passagem por Florianópolis, o Corona Dream Tour Floripa apresentado por Shell terá diversas atividades na janela de competição. Destaque para o Surf Dog, modalidade onde o tutor surfa com o cão, preservando sempre a segurança e o bem-estar do seu melhor amigo. A prática já acontece há décadas no exterior e sempre contou com a presença brasileira nos pódios, principalmente da Califórnia (EUA). Os cães Bono, Maya e Parafina são referências mundiais do esporte, campeões mundiais e brasileiros.

Dois destes três ícones do Surf Dog estarão presentes no Corona Dream Tour Floripa: Maya e Parafina, que terão a companhia de Dakota – matriz da primeira escola de Cães Guia do Brasil, Helen Keller, fundada na própria Praia Mole em 1998. Gilson, tutor da Maya, lembra que “a prioridade é que o cão esteja feliz, se divertindo e com total segurança por meio de coletes salva-vidas e sempre em condições adequadas para a prática do esporte”.
 

Além da atividade do Surf Dog, o cão guia Dakota e o reprodutor Atobá prestam assistência no Hospital Infantil Joana de Gusmão há 7 anos, no serviço de oncologia pediátrica, acompanhando as crianças durante o longo tratamento de leucemia e outras doenças, criando vínculos afetivos dentro do ambiente hospitalar.

A bateria especial dos cães, com duração de 30 minutos, será no sábado (02). Na data, o Corona Dream Tour Floripa também receberá a visita das crianças da Pediatria Oncológica do Hospital Infantil Joana Gusmão. São crianças entre 2 e 15 anos que estão curadas ou fase de tratamento de reemissão do câncer. Além de fazer um tour pelo evento, o grupo irá interagir com os cães surfistas e pintará uma prancha de SUP com a assinatura do renomado artista plástico Luciano Martins.

Outro projeto social que atua com crianças também visitará a competição: trata-se do Bairro Educador, programa de educação não formal inovador, da Prefeitura Municipal de Florianópolis e gerido pelo Instituto Escola de Esporte Cidadã, que tem como finalidade promover a educação integral e integrada. Além do apoio pedagógico, o programa oferece atividades culturais, esportivas e de lazer, incluindo o surfe, aplicado pela Oficina do Surf.

A ideia das visitas é apresentar às crianças como funciona um campeonato de surfe e as oportunidades que o esporte pode oferecer, além de proporcionar momentos de interação junto aos ídolos nacionais da modalidade.           

DIAGNÓSTICO SOCIOAMBIENTAL DA COSTA BRASILEIRA

É cada vez mais urgente o olhar para a pauta de sustentabilidade e de ESG em todos os setores da sociedade pública e privada, em consonância com uma agenda global amplamente divulgada e discutida mundialmente. E a nova gestão da CBSurf está trabalhando para se adequar à esta agenda mundial, trazendo junto as federações estaduais filiadas.

A CBSurf aplicou um questionário com o objetivo de conhecer a realidade de cada federação estadual de surfe e do ambiente onde elas estão inseridas (conforme a percepção delas), utilizando um diagnóstico como base para a elaboração de projetos que buscarão melhorias socioambientais e um maior envolvimento dos surfistas como agentes transformadores do seu meio.

O desenvolvimento de um trabalho integrado entre associações, federações e confederação tornará o surfe e suas entidades em expoentes de ações socioambientais, vinculando o surfe à conservação das ondas e das praias, bem como ao desenvolvimento responsável.

Com o resultado do diagnóstico que foi aplicado, será possível dar os primeiros passos para a atuação da CBSurf na zona costeira, nos aspectos socioambientais que tangenciam o surfe e seus praticantes. Durante o Corona Dream Tour Floripa haverá a apresentação do resultado do diagnóstico, restrita para as 15 federações estaduais de surfe por meio de uma videoconferência. Em breve esses resultados serão disponibilizados de forma pública para toda a sociedade.

GESTÃO AMBIENTAL

O Corona Dream Tour Floripa elaborou um Plano de Gestão Ambiental (PGA) completo e personalizado para o evento, elaborado e executado por profissional tecnicamente e legalmente habilitado, que emite ART junto ao Conselho Regional de Biologia (CRBio). Este PGA é composto por diversos Programas Ambientais que visam controlar e mitigar impactos negativos (resíduos, pisoteio de vegetação etc.) e potencializar impactos positivos (educação ambiental, engajamento social etc.).

O evento segue seu compromisso em atender todas as solicitações do Capítulo Específico de Sustentabilidade da Instrução Normativa 2023 do Livro de Regras da Federação Catarinense de Surf (FECASURF), sendo o primeiro evento de grande porte a conquistar o SELO EVENTO SUSTENTÁVEL FECASURF, um exemplo para outros eventos que passam pelo litoral catarinense.

A Praia Mole será a casa do Corona Dream Tour Floripa apresentado por Shell, a 3ª etapa da Divisão Principal da Confederação Brasileira de Surf. Continuando a sequência de sucesso do circuito, a Ilha da Magia recebe a estrutura do evento que busca promover os maiores nomes do surfe brasileiro da atualidade e movimenta o crescimento da modalidade durante a janela de competições, que vai de 30 de agosto a 7 de setembro.

A Divisão Principal do Circuito Brasileiro conta com empresas que dão a dimensão da relevância do evento no cenário esportivo nacional. O Dream Tour tem a Shell como a cota principal Coapresenta, a VIVO e Corona como Patrocinadoras Master e a Gerdau como Patrocinadora.

O Dream Tour é uma realização da Confederação Brasileira de Surf (CBSurf) e promoção da Dream Factory, que estão juntos resgatando a Divisão Principal do Circuito Brasileiro de Surf, através da Lei de Incentivo ao Esporte do Governo Federal, por meio do Ministério do Esporte. 
 
Para saber tudo sobre o Dream Tour 2023 siga @dreamtoursurf no Instagram. 

Sobre a CBSurf 
Reconhecida pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB) e também pela ISA (International Surf Association), a Confederação Brasileira de Surf (CBSurf) é a entidade nacional de administração do surf e de todas as atividades relacionadas aos esportes com pranchas, como definido no Estatuto da CBSurf. A entidade foi originalmente fundada em 17 de outubro de 1998 e conta com 15 federações estaduais filiadas. A sede atual está situada na cidade de Florianópolis, em Santa Catarina, tendo como presidente Flavio Padaratz e como vice-presidentes Paulo Moura e Brigitte Mayer, eleitos em fevereiro de 2022. A CBSurf tem como missão desenvolver, produzir, chancelar e organizar o Dream Tour e a Taça Brasil, que compõem o Campeonato Brasileiro de Surf, o Circuito Brasileiro do Surf de Base, o Circuito Brasileiro de Ondas Grandes, o Circuito Brasileiro de Longboard, o Circuito Brasileiro Master, o Circuito Brasileiro de Stand Up Paddle (Race, Wave, Sprint e Paddleboard) e o Campeonato Brasileiro de Parasurf. Todos, nas categorias masculina e feminina. Acompanhando o enorme sucesso do surf brasileiro, tanto no Circuito Mundial, com seis títulos mundiais nos últimos nove anos, quanto na Olimpíada do Japão, com a conquista da inédita medalha de ouro na estreia do surf, uma nova gestão feita por ex-competidores da elite mundial e pelos melhores profissionais do surf brasileiro, a CBSurf tem, como valor principal, promover e desenvolver a criação de ídolos nacionais, e consolidar as carreiras dos atletas de todas as categorias, inclusive das profissões que gravitam em torno das competições, trazendo dignidade para toda a comunidade do surf brasileiro. Em 2023, o Dream Tour estabelecerá um padrão e patamar inédito e histórico em todo o mundo. 
 
Sobre a Dream Factory: 
Ao longo dos seus mais de 22 anos de existência, a Dream Factory esteve entre as empresas líderes do mercado nacional de entretenimento ao vivo. Inicialmente como executores de eventos, a empresa nasceu após produzir a volta do Rock in Rio para o Brasil, em 2001. Nos momentos seguintes, a empresa foi uma das pioneiras na evolução do setor com a criação e implementação de experiências de marca integradas. Hoje, a Dream Factory é um sistema integrado de entretenimento ao vivo com eventos proprietários, serviços e gestão de comunidades.  Entre os eventos proprietários estão marcas conhecidas e queridas pelo público como a Maratona do Rio, a ArtRio, Sertões, Árvore do Rio e mais recentemente, a VidCon SP, o Dream Tour e o MECA.
 
A Dream Factory também traz em seu guarda-chuva a Dreamloc, que cuida de logística e infraestrutura, a Dream Venue, que atua como operação de "venue", com a administração de espaços como a Marina da Glória, no Rio de Janeiro; a GoDream, que organiza as vendas de ingresso, bebidas e alimentos, a Dream Strategy, que oferece consultorias estratégicas para marcas e empresas líderes do mercado, e a Easylive, uma empresa que capta pontos em troca de benefícios.

Sobre a Shell Brasil: 
Prestes a completar 110 anos no país, a Shell é uma empresa de energia integrada com participação em Upstream, no Novo Mercado de Gás Natural, Trading, Pesquisa & Desenvolvimento e no Desenvolvimento de Energias Renováveis, com um negócio de comercialização no mercado livre e produtos ambientais, a Shell Energy Brasil. Aqui, a distribuição de combustíveis é gerenciada pela joint-venture Raízen, que recentemente adquiriu também o negócio de lubrificantes da Shell Brasil. A companhia trabalha para atender à crescente demanda por energia de forma econômica, ambiental e socialmente responsável, avaliando tendências e cenários para responder ao desafio do futuro da energia.  
 
Sobre a Vivo: 
A Vivo é a marca comercial da Telefônica Brasil, e tem como propósito “Digitalizar para Aproximar”. A Vivo é um hub digital, facilitando o acesso de seus clientes a serviços em diferentes áreas, como entretenimento, esportes, segurança digital, finanças, saúde e educação. Atua na prestação de serviços de telecomunicações fixa e móvel em todo o território nacional e conta com um portfólio de produtos completo e convergente para clientes B2C e B2B, chegando a 112 milhões de acessos (3T22). A empresa está presente em 4,9 mil cidades com rede 3G, mais de 4,6 mil com 4G, e 3,2 mil municípios com a rede 4,5G. No segmento móvel, a Vivo tem 97 milhões de acessos e responde pela maior participação de mercado do segmento (38%) no País, de acordo com resultados do balanço trimestral (3T22). No âmbito dos patrocínios, a marca tem uma longa história no apoio ao esporte e é patrocinadora oficial da Seleção Brasileira desde 2005. Ao longo dos anos, a empresa vem ampliando sua atuação no cenário de esportes outdoor e apoia iniciativas de beach tennis, ciclismo e automobilismo de aventura por todo o Brasil. 
 
Sobre a Gerdau:   
Com 122 anos de história, a Gerdau é a maior empresa brasileira produtora de aço e uma das principais fornecedoras de aços longos nas Américas e de aços especiais no mundo. No Brasil, também produz aços planos, além de minério de ferro para consumo próprio. Além disso, possui uma divisão de novos negócios, a Gerdau Next, com o objetivo de empreender em segmentos adjacentes ao aço. Com o propósito de empoderar pessoas que constroem o futuro, a companhia está presente em 9 países e conta com mais de 36 mil colaboradores diretos e indiretos em todas as suas operações. Maior recicladora da América Latina, a Gerdau tem na sucata uma importante matéria-prima: 71% do aço que produz é feito a partir desse material. Todo ano, 11 milhões de toneladas de sucata são transformadas em diversos produtos de aço. A companhia também é a maior produtora de carvão vegetal do mundo, com mais de 250 mil hectares de base florestal no estado de Minas Gerais. Como resultado de sua matriz produtiva sustentável, a Gerdau possui, atualmente, uma das menores médias de emissão de gases de efeito estufa (CO₂e), de 0,90 t de CO₂e por tonelada de aço, o que representa aproximadamente a metade da média global do setor, de 1,89 t de CO₂e por tonelada de aço (worldsteel). Para 2031, a meta da Gerdau é diminuir as emissões de carbono para 0,83 t de CO₂e por tonelada de aço. As ações da Gerdau estão listadas nas bolsas de valores de São Paulo (B3), Nova Iorque (NYSE) e Madri (Latibex). 
 

Mais informações para a imprensa: 
Esporte&Negócio 
www.esporteenegocio.com.br
@esporteenegocio 
Christian McCardell – [email protected] – (11) 94698-8699
Carlos Alessandro – [email protected] – (11) 98293-4224 
Guto Francischini - [email protected] – (11) 98437 6545
Chris Volpe – [email protected] – (13) 99177 1529 
 

 

Este conteúdo foi distribuído pela plataforma SALA DA NOTÍCIA e elaborado/criado pelo Assessor(a):
U | U
U


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://jornalfluminense.com.br/.