24/08/2023 às 17h21min - Atualizada em 26/08/2023 às 00h02min

O espetáculo “O Sumiço da Yara” traz o folclore nacional com foco na natureza para crianças em Belém (PA)

O projeto realiza sete apresentações em escolas públicas do município no mês de agosto

Da redação
Lumax Produções

Com o objetivo de conscientizar as crianças de Belém (PA) sobre a importância da preservação do meio ambiente, a peça infantil “O Sumiço da Yara” acontece gratuitamente entre os dias 28 e 31 de agosto nas escolas E.M. “Santo Afonso”, E.M. “Brigadeiro Fontenelle”, E.M. “Rosalina Alvares da Silva” e Fundação Escola Bosque Professor Eidorfe Moreira. O espetáculo une personagens do folclore brasileiro e assuntos sobre como cuidar da natureza.

 

Na peça, os amigos Saci e Curupira são admiradores da sereia Yara, que encanta a floresta amazônica com sua bela voz. Certo dia, eles notam que Yara não está mais cantando e ficam preocupados. Enquanto a procuravam, recebem a visita do espírito da floresta, a índia Apoena, que na linguagem indígena significa “aquela que enxerga longe”. Apoena informa que a floresta corre muito perigo, pois um espírito destruidor está chegando para acabar com a natureza com fogo e poluição, e os animais, sem o verde da floresta e água, podem ser extintos.

 

A partir dessa informação, o Saci e o Curupira iniciam uma missão para resgatar a Yara e combater o espírito destruidor que pode ter causado o sumiço da sereia e ainda quer acabar com a floresta amazônica. A peça conta ainda com intérprete de libras e monitor que irá auxiliar o público e participantes que possuam alguma deficiência.

 

Segundo dados da MapBiomas, entre 2016 e 2021, a devastação de Terras Indígenas aumentou 41 vezes. Projetos como “O Sumiço da Yara” enfatizam a importância da discussão desse tema desde a infância.

 

O folclore brasileiro é um conjunto de mitos, lendas, brincadeiras, danças, festas, comidas típicas, que tem como principal origem a cultura indígena e possui alguns aspectos das culturas portuguesa e africana. A Yara, o Saci e o Curupira são alguns dos personagens mais conhecidos das lendas folclóricas.

 

No dia 22 de agosto foi celebrado o Dia do Folclore no Brasil. A data tem o intuito de alertar sobre a importância das manifestações folclóricas para a nossa cultura, já que o folclore é um dos elementos que ajudou a criar uma identidade do povo brasileiro.


Por meio da Lei de Incentivo à Cultura, o projeto “O Sumiço da Yara” tem a produção da Walkmar Produções, apoio da Vida Flat e SSP Produções com patrocínio da Novartis e é realizado pelo Ministério da Cultura, Governo Federal União e Reconstrução.

 

“A responsabilidade social corporativa é um dos pilares da estratégia global e local da Novartis, acreditamos em parcerias sustentáveis e apoiamos iniciativas que vão de encontro com nossa missão de reimaginar a medicina e transformar a vida das pessoas”, comenta Renato Carvalho, CEO da Novartis Brasil.

 

Sobre A Novartis: A Novartis está reimaginando a medicina para melhorar e ampliar a vida das pessoas. Como líder mundial em medicamentos, utilizamos tecnologias científicas e digitais inovadoras para criar tratamentos transformadores em áreas de grandes necessidades médicas. Em nossa busca por novos medicamentos, somos constantemente classificados entre as principais empresas do mundo que investem em pesquisa e desenvolvimento. Os produtos da Novartis alcançam quase 800 milhões de pessoas em todo o mundo e estamos encontrando maneiras inovadoras de expandir o acesso aos nossos tratamentos mais recentes. Cerca de 106 mil pessoas de mais de 140 nacionalidades trabalham na Novartis em todo o mundo.

 

Sobre o Ministério: A principal ferramenta de fomento à Cultura do Brasil, a Lei de Incentivo à Cultura contribui para que milhares de projetos culturais aconteçam, todos os anos, em todas as regiões do país. Por meio dela, empresas e pessoas físicas podem patrocinar espetáculos – exposições, shows, livros, museus, galerias e várias outras formas de expressão cultural – e abater o valor total ou parcial do apoio do Imposto de Renda. A Lei também contribui para ampliar o acesso dos cidadãos à Cultura, já que os projetos patrocinados são obrigados a oferecer uma contrapartida social, ou seja, eles têm que distribuir parte dos ingressos gratuitamente e promover ações de formação e capacitação junto às comunidades. Criado em 1991 pela Lei 8.313, o mecanismo do incentivo à cultura é um dos pilares do Programa Nacional de Apoio à Cultura (Pronac), que também conta com o Fundo Nacional de Cultura (FNC) e os Fundos de Investimento Cultural e Artístico (Ficarts). Essas ações são patrocinadas pela Novartis. Lei de Incentivo à Cultura, Ministério da Cultura.

 

Serviço:

“O Sumiço da Yara” em Belém (PA)
Datas, horários e locais:

28/08 - 10h30 e 13h00

Escola Municipal “Santo Afonso”

Av. Arthur Bernardes, 459 - Telégrafo - Belém, PA

 

29/08 - 10h30 e 13h00

Escola Municipal“Brigadeiro Fontenelle”

Rua São Domingos, 511 - Terra Firme - Belém, PA

 

30/08 - 10h30 e 13h00

Escola Municipal“Rosalina Alvares da Silva”

Av. Senador Lemos, 3430 - Sacramento - Belém, PA

 

31/08 - 10h30

Fundação Escola Bosque Professor Eidorfe Moreira

Av. Nossa Senhora da Conceição, S/N - Belém, PA

 


Este conteúdo foi distribuído pela plataforma SALA DA NOTÍCIA e elaborado/criado pelo Assessor(a):
U | U
U


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://jornalfluminense.com.br/.