23/08/2023 às 15h22min - Atualizada em 25/08/2023 às 00h04min

Projeto de meninas cientistas de escola pública no Paraná transforma óleo de cozinha em biodiesel para ônibus escolares

A iniciativa é desenvolvida em parceria com a Universidade Federal do Paraná e visa contribuir com o meio ambiente por meio de ações sustentáveis e políticas públicas de mobilidade urbana

Amotara Agência de Notícias
https://www.sonhogrande.org/porque-ensino-medio-em-tempo-integral/pt?
Divulgação

No interior do Paraná, um grupo de estudantes do Colégio Estadual Conselheiro Carrão, escola pública de Ensino Médio em Tempo Integral, em Assaí (PR), desenvolveu uma startup júnior para reaproveitar óleo de cozinha usado e transformar o produto, que seria descartado, em biodiesel. Em parceria com a Universidade Federal do Paraná (UFPR), o projeto de iniciação científica 100% feminina conseguiu, durante as festividades do aniversário da cidade, fazer um dos ônibus escolares municipais funcionar com o combustível sustentável criado na escola. Após a demonstração, o veículo ainda seguiu rodando por quase uma semana para levar estudantes de uma das linhas da cidade, somente com o abastecimento do biodiesel. 

Segundo Matheus Rossi, professor de Química e Física e também orientador do trabalho, o objetivo número um do "BIOSUN" é organizar a produção do biocombustível dentro da escola e promover a criação de uma "linha verde" na cidade, com foco nas políticas públicas de mobilidade urbana e sustentabilidade.  

"A ideia das estudantes é transformar, com o apoio da prefeitura, parte dos ônibus escolares em uma linha específica que só opere com o biodiesel produzido por meio do projeto. É uma forma de solucionar o problema de descarte irregular de compostos orgânicos e, ao mesmo tempo, promover uma verdadeira experiência tanto cientifica quanto empresarial", explica o docente.       O projeto se baseia na premissa de que o óleo de cozinha, em sua maioria, é reciclado em forma de sabão. Porém, quando adicionado a alguns produtos químicos, é possível produzir um combustível alternativo, ecológico e com menores índices de poluição. No BIOSUN, o resíduo arrecadado é esquentado e mesclado com um álcool e uma base forte. As primeiras levas foram produzidas na própria escola e as demais versões foram desenvolvidas dentro da UFPR, no polo Jandaia do Sul. Além disso, a escola, que faz parte do Núcleo Regional de Ensino Cornélio Procópio, também contou com o apoio da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação da prefeitura de Assaí (PR). 

Aprendizado na prática e protagonismo juvenil 

A iniciativa foi construída com base nas ferramentas pedagógicas diversificadas do Ensino Médio em Tempo Integral, como a tutoria, o aprendizado na prática, o protagonismo juvenil, a orientação de estudos e o projeto de vida. Estes pilares permitem que a escola proporcione aos jovens atividades que trabalhem a sua autonomia e liberdade criativa, além de ações que extravasam o âmbito escolar, atingindo também a comunidade, como o BIOSUN. 

Para a estudante Eduarda Pietra, que participa da startup, é uma oportunidade de colocar em prática conceitos aprendidos e ver o resultado de algo produzido diretamente pelos estudantes. "Tem sido uma experiência incrível, especialmente porque sempre tive curiosidade na parte laboratorial e cresci ouvindo muito sobre a importância de ideias sustentáveis. Poder realizar e ver a possibilidade da continuidade do projeto é algo que me incentiva muito, desde a parte acadêmica até em meus interesses particulares", comenta.  

Projeto de vida  

Outro ponto que merece destaque no Ensino Médio em Tempo Integral é a questão do apoio pedagógico que é dado aos estudantes, especialmente pela proximidade com os professores e com componentes pedagógicos diversos, como as eletivas e o projeto de vida, que promovem o aprendizado para a vida, para o futuro. É o que reforça Letícia Ayumi, outra estudante envolvida no projeto:  

" Para mim, meu projeto de vida foi reforçado e muito influenciado pelas experiências que a participação na equipe e o Ensino Médio em Tempo Integral me proporcionaram. Eu gosto muito da área de ciências da natureza, da vivência em laboratório e da ideia de trabalhar em pesquisas científicas para resolver problemas cotidianos. E o BIOSUN me permitiu experimentar tudo isso, bem como frequentar o ambiente em que pesquisadores trabalham diariamente e seus obstáculos", conta Letícia.  

Próximos passos 

Além de aguardar a avaliação de viabilidade sobre a proposta de criação de uma "linha verde" na cidade, as jovens cientistas querem desenvolver uma continuação do trabalho que redirecione os resíduos da produção do biodiesel, com foco no reaproveitamento integral dos recursos.  

"Outros objetivos são encontrar parceiros, tanto na indústria química, visando obter reagentes e materiais no menor custo possível, possibilitando a produção de um biodiesel de bom custo-benefício, como também um investidor que proporcione a criação de um novo laboratório", finaliza o professor Matheus Rossi. 

O Ensino Médio em Tempo Integral é uma proposta pedagógica multidimensional, moderna, nacional, pública e gratuita. A partir de um modelo de ensino que se conecta à realidade dos jovens e ao desenvolvimento de suas competências cognitivas e socioemocionais, propõe a formação integral dos estudantes. Trabalha pilares como projeto de vida, aprendizado na prática, tutoria, protagonismo juvenil, acolhimento, orientação de estudos e eletivas, que promovem a formação completa do estudante, junto aos componentes curriculares já previstos na BNCC. Está presente em cerca de 6 mil escolas em todo o país, beneficiando mais de 1 milhão de estudantes. 


Este conteúdo foi distribuído pela plataforma SALA DA NOTÍCIA e elaborado/criado pelo Assessor(a):
U | U
U


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://jornalfluminense.com.br/.