16/08/2023 às 19h22min - Atualizada em 17/08/2023 às 00h02min

Investimento em tecnologia faz Katira ser uma das grandes produtoras nacionais de limão tahiti

No processo de beneficiamento, ninguém coloca a mão no produto que vai ao consumidor depois que ele é colhido: é tudo automatizado

CID LUIS DE OLIVEIRA PINTO
www.alfapress.com.br
Divulgação
O Brasil tem se destacado cada vez mais na produção de citrus. De acordo com a FAO (Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura), o país ocupa a quinta posição e se destaca como um dos grandes produtores de lima ácida tahiti, sendo o segundo maior produtor mundial da espécie. É nesse cenário que a Katira, empresa de sustentabilidade, qualidade e tecnologia que está no mercado nacional há quase 50 anos, tem se destacado e conquistado o mercado brasileiro, resultado do uso da tecnologia.

O investimento em equipamentos tecnológicos tem sido uma das grandes apostas da marca, para auxiliar na seleção das frutas e oferecer cada vez mais produtos de qualidade para os consumidores. “A qualidade é um dos nossos diferenciais e para isso, nos valemos da utilização de máquinas mais modernas, muitas dessas importadas, que nos auxiliam na seleção, classificação da fruta com maior qualidade e detectando defeitos internos e externos, por meio de infravermelho”, explica Júlio César Del Grossi, Diretor Comercial da Katira.

Há 3 anos a empresa que foca 50% da sua produção em limão tahiti, utiliza uma moderna classificadora eletrônica, proveniente a parte tecnológica da Nova Zelândia, onde realiza detecção dos defeitos externos e, o mais importante, dos defeitos internos da fruta, diminuindo as perdas ao varejista e ao consumidor final. Foi a primeira empresa em território nacional que utilizou esse recurso no limão tahiti, como forma de melhorar ainda mais o processo de beneficiamento e processamento da fruta. A empresa pretende, futuramente, realizar mais investimentos em tecnologia.

A Katira vem desde 2017 em um processo de expansão 100% nacional. Hoje a marca está presente nas principais grandes redes supermercadistas do Centro-Sul brasileiro e futuramente projeta a atuação na parte Norte-Nordeste do território nacional. “Queremos expandir de forma consciente e manter a nossa qualidade, por isso focamos exclusivamente no mercado nacional”, comenta Del Grossi, Diretor Comercial da Katira. O diretor da Katira, ainda reforça que além do uso de maquinário, a tecnologia está presente também na forma de produtos e processos de análises, com o objetivo de garantir a segurança alimentar das frutas. “A utilização de fertilizantes e defensivos agrícolas acontecem somente no campo. No packing house, em nosso processo de beneficiamento, ninguém coloca a mão no produto que vai ao consumidor depois que ele é colhido. Nesse procedimento, após a colheita, a fruta é sanitizada, higienizada, e também passa por uma análise biológica e química. Então, tem todo esse procedimento, além do uso do equipamento tecnológico”, finaliza Del Grossi.

Este conteúdo foi distribuído pela plataforma SALA DA NOTÍCIA e elaborado/criado pelo Assessor(a):
U | U
U


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://jornalfluminense.com.br/.