27/07/2023 às 13h44min - Atualizada em 28/07/2023 às 00h04min

Estados Unidos – O mundo em suas mãos.

O jornalista e apresentador George Robert’s conta como é esse processo de conhecer novas culturas.

Samantha di Khali Comunica
George Robert’s
Como é importante conhecer outras culturas, estudar e o processo da conscientização de cada um. Quando estamos no Brasil, nos acostumamos com a rotina do dia a dia e fazemos tudo que podemos, até mesmo sonhamos como seria a vida em outro país. Geralmente o brasileiro que nunca saiu do país (Brasil), romantiza a vida nos Estados Unidos por causa da tv “filmes que assiste” e acaba pensando de como é “mágico” a vida na América. O jornalista e apresentador George Robert’s conta como é esse processo de conhecer novas culturas.
Toda pessoa que converso, tem uma história interessante para contar, umas compreendem o processo da vida nos “Estados Unidos” e conseguem viver de forma confortável, e outras trabalham “loucamente” para ajudar financeiramente suas famílias no Brasil. Qual a diferença entre esses dois tipos de pessoas? Penso que seria os valores “Culturais”.
Conhecer e compreender o processo cultural de um país diferente do nosso, implica de que forma um indivíduo vai se organizar para o mercado de trabalho e sua vida pessoal. A pessoa que não teve acesso ao estudo sente maiores dificuldades, chegam aos Estados Unidos até mesmo sem um visto de “forma ilegal” e acabam trabalhando para outros brasileiros em solo Americano sem saberem dos seus direitos e deveres. Infelizmente quando não se conhece muito sobre o país, muitos vivem o processo da “escravidão” na mão de brasileiros que gostam de tirar vantagens dos outros. Quando há um questionamento em relação “empresa” para um brasileiro que já conseguiu se estabilizar, a resposta de muitos é: “Eu dou oportunidades para muitos que precisam”.  Bom, na grande maioria dessas oportunidades, “as pessoas que precisam mais”, recebem um salário baixo e não tem benefícios como “bonificação, férias e direto ao sistema médico”. Para falar a verdade existem muitas empresas cujo os donos são brasileiros e que não oferecem direito algum. Se a pessoa trabalha, “recebe o dia”.
Esse processo de trabalhar e dizer que “ajuda” a quem precisa é como “ter um mundo em suas mãos” sem pensar que as pessoas merecem mais valorização. Capacitar, ensinar e educar o outro é contribuir para a evolução de todos. O outro não tem culpa do passado que viveu e hoje ele somente quer desfrutar do melhor que os Estados Unidos pode oferecer.
A grande maioria de brasileiros donos de empresas nos Estados Unidos se tornam “individualistas”. Não estou generalizando, mas é complicado lidar com o “Brasil” dentro dos “Estados Unidos”.
Mas mesmo com todas essas adversidades vale a pena viver e enfrentar cada situação de forma positiva e fazer a diferença na vida de outras pessoas.
Para quem quer saber sobre histórias de pessoas que são fontes de inspiração, confira o canal “George Robert’s Talks” e acesse o Instagram @georgerobertstalksoficial.

 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://jornalfluminense.com.br/.