01/03/2023 às 22h00min - Atualizada em 02/03/2023 às 00h00min

Dia Mundial da Obesidade: Conheça as estratégias para começar a se mexer aos poucos

Especialista revela algumas dicas do cotidiano que fará a pessoa ser menos sedentária

SALA DA NOTÍCIA Digital Fisher Comunicação e Marketing
Prof. Flama Elias é especialista em emagrecimento - Foto: Gabriel Quintal
O Dia Mundial da Obesidade é lembrado anualmente em 4 de março. Este dado foi criado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para conscientizar as pessoas sobre a importância da prevenção e tratamento da obesidade.

A obesidade é uma condição identificada pelo excesso de gordura no corpo, que pode levar a uma série de problemas de saúde, como diabetes, doenças cardíacas, hipertensão arterial, entre outras.

Para combater a obesidade, é importante adotar um estilo de vida saudável, que inclua uma alimentação equilibrada e prática regular de atividades físicas. O Brasil poderá ter, em 2030, cerca de 30% da população obesa.

O Dia Mundial da Obesidade é uma oportunidade para conscientizar a população sobre os riscos da obesidade e incentivar a adoção de hábitos saudáveis para prevenir e tratar essa condição.
Uma ação importante é sair do sedentarismo. Então, mexa-se! Conheça estratégias para sair do sedentarismo e ter um mundo menos gordo.

Conheça as estratégias para começar a se mexer aos poucos
 
De acordo com estatísticas da OMS (Organização Mundial da Saúde), o Brasil é o 5º país mais sedentário do mundo. Ainda conforme as informações atualizadas em dezembro de 2020, em comparação com as demais nações da América Latina, ocupamos o 1º lugar em sedentarismo. 

Quando uma pessoa é considerada sedentária? 
 
Uma pessoa é considerada sedentária quando gasta menos de 2.200 quilocalorias em qualquer tipo de atividade ao longo de uma semana. Segundo a OMS, um em cada quatro adultos e quatro em cada cinco adolescentes não praticam exercício físico suficiente, se encaixando no perfil acima descrito. Vale dizer que os movimentos que realizamos no dia a dia não são considerados nesse contexto.

O sedentarismo pode se manifestar em 4 diferentes níveis:
1º - Estão as pessoas que fazem eventuais caminhadas durante a semana, mas não consideram a prática como algo que deve fazer parte da rotina;
2º - Estão aqueles que só se movimentam para separar o lixo, lavar a louça e, eventualmente, ir ao supermercado;
3º - Composto por quem evita qualquer tipo de esforço físico, por mais sutil que ele seja;
4º - Fazem parte aquelas pessoas que dificilmente se lembram quando foi a última vez que caminharam e, geralmente, passam o dia sentadas em frente ao computador ou deitadas.

Embora o sedentarismo seja frequentemente associado à obesidade, ao contrário do que muita gente imagina, ele pode provocar ainda outros problemas ligados à saúde que não estão necessariamente relacionados ao excesso de peso. Um deles é a elevação do colesterol ruim e, além dele, não praticar exercícios físicos pode contribuir para o aparecimento de outros males, como: doenças cardiovasculares, diabetes, ansiedade, problemas nos ossos e músculos. 

Flama Elias, que é profissional de educação física e especialista em emagrecimento, fornece algumas dicas para o indivíduo começar a se movimentar mais um pouco:
  • Use menos o carro: Vá a pé até a padaria ou ao supermercado. Caso não seja possível, outra opção é estacionar a 2 ou 3 quarteirões de distância e caminhar até o local.
  • Brinque: Essa dica é excelente para quem tem criança em casa. Correr e pular, entre outras atividades, queimam calorias. Os pets também são ótimos companheiros de diversão e dá para evitar o sedentarismo brincando ou passeando com eles.
  • Use escadas: Apertar o botão do elevador é quase automático. Esse hábito pode ser substituído por subir alguns lances de escada, seja no trabalho ou em casa. A ideia é ir aumentando a frequência aos poucos.
  • Pedale: A presença de ciclovias já é uma realidade em diversas cidades do Brasil. É um começo considerar se deslocar até o trabalho ou universidade pedalando. Além de combater o sedentarismo, é uma atitude mais sustentável.
  • Dance: Tirar alguns minutos do dia para afastar os móveis, aumentar o volume do som e dançar sem medo de ser feliz, além de colocar o corpo em movimento vai estimular a produção de endorfina, hormônio da felicidade.
Para sair do sedentarismo não há um tempo especificado. A OMS informa que uns 3 meses após começar a prática regular de exercícios físicos, o indivíduo deverá sair da zona sedentária. A OMS ainda recomenda que se pratique exercícios físicos moderados por 150 minutos semanais ou vigorosos por 75 minutos.
Prof. Flama Elias é Profissional de Educação Física, Mentor em Emagrecimento, Pós-graduado em Fisiologia do Exercício e Coordenador do Movimento Emag no Recife.
CREF 002785-G/PE


 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://jornalfluminense.com.br/.