19/06/2023 às 14h59min - Atualizada em 20/06/2023 às 14h57min

A inclusão de estudantes negros na educação particular: o caso do Projeto Proceder

SALA DA NOTÍCIA Anna Cecilia Galvão de França
https://cgceducacao.com.br/index.php/2023/06/15/a-inclusao-de-estudantes-negros-na-educacao-particular-o-caso-do-projeto-proceder/
Google

A inclusão de estudantes negros na educação particular: o caso do Projeto Proceder

A educação é um dos principais pilares para a igualdade racial no Brasil, e a nova Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD) – Educação 2022, divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), comprova que a escolaridade ainda é muito desigual entre negros e brancos.

Mas, aos poucos, o cenário começa a mudar. O movimento antirracista nas escolas tem ganhado força, e em 2022, o Colégio Equipe, em São Paulo, criou a campanha de financiamento coletivo para viabilizar o Projeto Proceder, garantindo que nove estudantes negros, oriundos de famílias de ocupações da região central da cidade, pudessem estudar na instituição.

Hoje, o projeto conta com 15 estudantes negros contemplados com bolsas integrais de ensino no Colégio Equipe, todos pertencentes a famílias que vivem em cinco ocupações do Movimento de Moradia na região central de São Paulo.

O Projeto Proceder está inserido em um contexto mais amplo de construção de uma educação antirracista no Colégio Equipe, com o objetivo de promover uma educação mais plural e inclusiva. O diretor do Equipe, Luís Marcio Barbosa, afirma que “aumentar a presença de crianças e adolescentes negras em escolas particulares é um passo importante para reduzir as desigualdades raciais em nossa sociedade”.

Além disso, o Equipe busca estabelecer com os Movimentos de Moradia uma relação política, cultural e educacional com trocas de conhecimentos, experiências e aprendizagens.

Para garantir a sustentabilidade do projeto de bolsas, a Ocupação 9 de Julho e o Colégio Equipe organizaram um almoço para divulgar o Projeto Proceder e angariar fundos. O evento contou com o apoio da comissão antirracista do Equipe, do Equipreta (coletivo de estudantes do ensino fundamental II e ensino médio que debatem a questão racial) e do Grêmio Pão de Milho.

Se você também quer contribuir para a inclusão de estudantes negros em escolas particulares e a construção de uma educação antirracista, acesse o formulário e participe dessa transformação. O Instituto prestará contas trimestrais das receitas e despesas desta campanha de arrecadação.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://jornalfluminense.com.br/.