27/04/2023 às 12h27min - Atualizada em 01/05/2023 às 00h04min

Escola pública de Sergipe tem recorde de aprovações e vira destaque no ENEM 2022

Colégio público de Ensino Médio Integral está entre 5 escolas mais antigas do país, e teve ainda 9 alunos conquistando 1ºs lugares, em mais de 105 aprovações

SALA DA NOTÍCIA Amotara Agência de Notícias
https://www.sonhogrande.org/porque-ensino-medio-em-tempo-integral/pt
Divulgação

Estudantes do Centro de Excelência Atheneu Sergipense, de Aracaju (SE), conquistaram grande destaque no ENEM 2022. Para o ano letivo de 2023, obteve 105 aprovações em universidades públicas, sendo nove delas em 1º lugar. Considerada a escola mais antiga do Estado e uma das cinco precursoras do Brasil, o Atheneu é uma instituição pública de Ensino Médio Integral, modelo de ensino que se conecta à realidade dos jovens e busca promover o desenvolvimento integral do estudante. 

Protagonismo juvenil em destaque 

Raphael Gonçalves e Renata Santos são alguns dos jovens que alcançaram esses notáveis resultados. Os alunos se tornaram protagonistas do modelo de ensino, tendo trilhado uma jornada de liderança e participação ativa em projetos e ações sociais que colaboraram para as suas qualificações.  

Raphael, de 17 anos, foi aprovado em Ciência da Computação na Universidade Federal de Sergipe (UFS), obtendo a 2ª maior nota do estado. O estudante também recebeu uma premiação pela melhor média do ENEM em Sergipe. Para ele, o Ensino Médio Integral teve um papel fundamental em sua formação, especialmente pelas oportunidades em desenvolver projetos diversificados que se conectaram com sua paixão: tecnologia. 

"Acredito que parte da minha conquista se deve ao acompanhamento que tive dos meus professores, mas também aos projetos com os quais me envolvi durante a jornada no Ensino Médio Integral. Logo quando entrei, dei início a uma startup social chamada Zebus, por meio da qual arrecadamos livros para a doar ao sistema prisional de Sergipe. Além da Zebus, me envolvi no Atheneu ONU, uma simulação das assembleias da ONU para discussão de temas relevantes, em que fui secretário do comissariado dos refugiados", reforça Raphael.  

Para a aluna Renata, de 17 anos, que conquistou o 4º lugar no curso de Jornalismo na UFS, a junção do ensino em tempo integral proposto pelo modelo e dos seus componentes multidisciplinares que incentivam os jovens a colocarem a "mão na massa" foi algo decisivo em seu vestibular. "O Ensino Médio Integral foi uma virada de chave na minha vida educacional. Entrei no ensino médio querendo a área da saúde, mas quando tive contato com as eletivas de literacia política, política pública e diplomacia me apaixonei. Ali aprendi sobre protagonismo e liderança, além de ter me ajudado com meu projeto de vida", explica a estudante.   

A jovem também conta que participou do projeto de simulação da Assembleia da ONU, o que a ajudou a pensar fora do senso comum e ver os problemas que a sociedade enfrenta a cada dia. Agora, na faculdade, Renata pensa em expandir os conhecimentos e engajar mais jovens nesse universo tão amplo da política por meio da comunicação.  

Mais oportunidades 

Outro destaque em aprovação no Atheneu foi o estudante Igor Morais, de apenas 18 anos, que alcançou o 1º lugar em Química na UFS. "No Ensino Médio Integral tive o privilégio de ser orientado por professores excelentes, dentro de um modelo que preza pelo desenvolvimento do aluno, trazendo novas maneiras de aprendizado", relata Igor. 

Aprovada em 1º lugar no curso de História da UFS, Ana Julia Barros, de 18 anos, reforça como o tempo na escola foi importante para esse momento. "As vivências no Ensino Médio Integral contribuíram de forma grandiosa para a minha formação pessoal. O amadurecimento que adquirimos na instituição como alunos e também como indivíduos nos preparam para enfrentar a vida além dos âmbitos da escola", finaliza a aluna.  

Já para Iasmin Nascimento, de 17 anos, a aprovação na universidade se tornou um marco não somente na sua história, mas também na de sua família. A estudante, que alcançou 980 pontos na redação do ENEM e conquistou a vaga em Jornalismo na UFS, é a primeira filha a ingressar na universidade pública. "Para mim, a principal contribuição do Ensino Médio Integral foi o desenvolvimento pessoal e acadêmico. Além de vários projetos que me estimularam a ser protagonista da minha história, tive acesso a aulas teóricas e disciplinas práticas que me prepararam para chegar até aqui", comenta Iasmin.  
 

O Ensino Médio Integral é uma proposta pedagógica multidimensional e moderna, nacional, pública e gratuita. A partir de um modelo de ensino que se conecta à realidade dos jovens e ao desenvolvimento de suas competências cognitivas e socioemocionais, propõe a formação integral dos estudantes. Trabalha pilares como projeto de vida, aprendizado na prática, tutoria, protagonismo juvenil, acolhimento, orientação de estudos e eletivas, que promovem a formação completa do estudante, junto aos componentes curriculares já previstos na BNCC. Está presente em cerca de 6 mil escolas em todo o país, beneficiando mais de 1 milhão de estudantes. 


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://jornalfluminense.com.br/.