18/03/2023 às 12h12min - Atualizada em 20/03/2023 às 00h03min

Homem suspeito em vender diplomas por R$ 2 mil

Preso suspeito

SALA DA NOTÍCIA Joao Paulo Santos Ribeiro
g1.globo.com
Um homem de 33 anos foi preso suspeito de vender certificados falsos em Goiânia. Em um áudio, o investigado explicou que fornecia documentos de ensino médio, fundamental, técnico e superior. De acordo com a Polícia Militar, o preço para um certificado de ensino médio era de R$ 700, e para cursos profissionalizantes, R$ 2 mil.

“O negócio é assim meu amigo, eu não vendo curso, eu entrego o documento já pronto, não é preciso se preocupar com nada. É um diploma, e também o histórico escolar. Você pode usar esses papéis para entrar em uma faculdade, em um concurso público, apresentar no trabalho, vale em todo o Brasil”, disse o suposto criminoso em um áudio.


Sem divulgar a identidade, o site G1.globo.com não conseguiu contato com a defesa do suspeito na última atualização desta notícia. Na última terça (10), a PM recebeu a informação de que duas pessoas estariam usando drogas no Parque Atheneu.
O capitão Gustavo Arantes afirmou que, no carro do suspeito, havia os diplomas e, ao chegarem à casa dele, encontraram a impressora e os carimbos. "Isso acaba sendo um prejuízo para a comunidade, pois a maioria se esforça para estudar e se preparar.
No fim, uma pessoa vendendo esses documentos falsos concorre no mercado de trabalho e acaba desfavorecendo aqueles que realmente conseguiram seus certificados", declarou o capitão.

A PM foi informada pelo suspeito que estava vendendo os documentos devido às suas dificuldades financeiras. Segundo a Polícia, havia nomes de pessoas de Mato Grosso e Tocantins nos certificados, além de registros do Ministério da Educação (MEC), o que deixou os policiais intrigados.
O G1 tentou entrar em contato com a PC para obter mais detalhes da investigação, mas não obteve resposta até o momento. Também entrou em contato com o MEC para verificar se existiam denúncias relacionadas a diplomas falsos, porém sem sucesso.
Durante a operação, foram apreendidos um notebook, uma impressora, dois celulares e cheques sem fundos no valor de R$ 5,2 mil. O homem era cabeleireiro em Itaberaí, no noroeste de Goiás, mas residia em Goiânia para vender os documentos. Ele foi levado à Central de Flagrantes, onde já possuía registros criminais por ameaça e porte ilegal de arma de fogo.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://jornalfluminense.com.br/.